Você deseja viver uma vida que faça a diferença?

Tempo de leitura: 4 minutos

Você deseja viver uma vida que faça a diferença

Você deseja viver uma vida que faça a diferença? Isto é um grande desafio. Tenho visto diversas pessoas tentando mudar o mundo e isso é maravilhoso! Eu também sou uma dessas pessoas que querem mudar o mundo, mas cheguei à conclusão de que é mais fácil propor mudanças para o outro, do que iniciar mudanças em mim. Muitas pessoas sabem exatamente o que precisam mudar, mas não são capazes de fazê-lo. Mudar tem mais a ver com motivação do que qualquer outra coisa. É algo que vem de dentro, é ter um motivo para realizar uma ação.

E eu lhe pergunto: qual é o seu motivo para mudar? Temos dificuldades para mudar porque possuímos percepções diferentes sobre nossas emoções. Uma parte de nós deseja mudar.  Não queremos adquirir um câncer por causa do uso excessivo do cigarro. Não queremos perder nosso emprego por causa do nosso temperamento explosivo. Não queremos ficar nos culpando por causa de algo que aconteceu no passado.
A outra parte teme a mudança. Pensamos: “E se eu parar de fumar e morrer de câncer de qualquer maneira? Eu apenas terei perdido o prazer em ter fumado.” Ou: “Ah, mas meu chefe também é grosseiro comigo, eu apenas devolvo na mesma moeda o jeito que ele me trata.” Possuímos emoções paradoxais.

Uma das coisas que me fizeram mudar foi ter experimentado a dor num nível tão intenso que a única coisa que eu pensava era: eu preciso mudar AGORA! E isso é o que faz com que praticamente qualquer pessoa possa dar uma virada em sua vida. É quando o seu cérebro lhe diz: “Já chega, não posso mais passar nem um segundo sequer vivendo assim”.

Muito provavelmente você já tenha experimentado isso num relacionamento amoroso. Era doloroso, você não era feliz, mas insistia mesmo assim. Por qual razão? Talvez você tivesse pensado que em algum momento ia melhorar, mas você não fazia nada para melhorar. Se você sentia tanta dor, por que não foi embora? Porque o medo do desconhecido é algo que nos assombra. E são esses “medos” que impede as pessoas de realizarem mudanças positivas em suas vidas. Duas coisas são utilizadas como alavancas propulsoras de mudanças: dor ou prazer.

Se você, assim como eu, já tentou mudar muitas vezes e fracassou, isso significa que talvez você ainda não tenha atingido o seu nível intenso de dor. Lembro-me de ter participado de um treinamento de inteligência emocional, onde o master coach Paulo Vieira dizia: “Mudanças acontecem rápido.” Confesso que a primeira vez que ouvi aquilo, não acreditei. Mas 24 horas foi o suficiente para que eu pudesse entender o poder daquela frase. Porque passei uma vida toda tentando mudar o meu comportamento, que era o efeito de decisões erradas que tomava, em vez de mudar a causa que estava me levando a tomar àquelas decisões erradas. Eu precisava apenas decidir. E apenas uma decisão, seria capaz de modificar imediatamente a minha vida.

O que é que você precisa decidir hoje? O ano está acabando e é sempre um bom momento de revisar nossos objetivos, colocar na balança nossos ganhos e perdas e avaliar o que é que fica e o que é que precisa ir embora. Talvez você deseja mudar um hábito, mudar de emprego, mudar de casa, mudar de país. Você não precisa esperar o ano acabar, antes mesmo de terminar a leitura deste artigo, você pode tomar a decisão que trará mudanças positivas, crescimento e felicidade em sua vida. Prove a si mesmo que você decidiu agora e tome uma ou duas decisões que você vinha adiando há muito tempo. Conforme disse no início desse texto, decida o que você precisa mudar e entre em ação. E se algo não estiver funcionando, revise, repense até alcançar a mudança que deseja. Anthonny Robbins diz que: “são suas decisões, e não suas condições, que determinam seu destino”.

Decida hoje e saiba que antes de querer mudar o mundo, eu preciso, em primeiro lugar, dar conta do “meu mundo”. Só posso lidar com o que esta do lado de fora, se eu souber lidar com o lado de dentro, o meu lado de dentro. Gandhi tem toda a razão: “seja a mudança que você quer ver no mundo”. Talvez nós não consigamos mudar o mundo todo, mas quando damos conta do “nosso mundo” estamos contribuindo de alguma forma pra que este mundo seja melhor. E saiba que o amor é uma das habilidades mais poderosas que temos pra cuidar deste mundo e de todos os mundos que estão dentro e fora de cada um de nós. O amor próprio e o amor ao próximo. Sim, desta forma você pode mudar o mundo.

Faça coaching! Tome esta decisão e pare de sofrer. Juntos vamos mudar o mundo!

Você gostou do artigo “Você deseja viver uma vida que faça a diferença?”

Júlia Audi

Master Coach, escritora, empreendedora e radialista.
Júlia Audi

Últimos posts por Júlia Audi (exibir todos)